youtube linkHi all,

The following post is authored by my good friend and colleague, André Brandalise. Andre is a music therapist residing in Porte Alegre, Brazil. His post is a response regarding a YouTube video that featured a mom singing to her crying baby. This video drew a great deal of attention throughout several media outlets in Brazil including the popular television program, “Fantástico.”

PLEASE NOTE THAT THIS POST IS WRITTEN IN BOTH, ENGLISH AND PORTUGUESE.

In Brazil there is a very popular TV show called “Fantástico.” It made its premiere in August 5th, 1973 and became a show dedicated to the Brazilian family which goes on air every Sunday night. It brings different attractions and, among its purposes, does not have the objective to discuss topics in a very deep level. However, it is considered a serious show conducted by important journalists who cover the main facts of the Brazilian week. Well, on Sunday, November 3rd the show tried to understand the phenomenon illustrated through a youtube video. CLICK HERE TO VIEW VIDEO

In this video the reader will see a mother singing to her baby who reacts to it in a very emotional way. The video became really popular in Brazil and Fantástico decided to discuss the phenomenon. In order to understand it, journalists decided to interview professionals of different areas. It was unbelievable that journalists decided not to interview music or music therapy professionals. The interviewd professionals, who may be excellent professionals in their areas, do not have the obligation to understand phenomena involving music therefore what they said, even though made sense about the video, explained only partially what had happened. The interviewd psychologist, for instance, even stated that the music involved was not relevant and affirmed that the only reason for the baby’s emotional reaction emerged from the relationship with its mom. Well, relationships between moms and babies really happen. They are really potent and what was said was correct. However, it is not the only phenomenon which occurs when two or more people get involved with music.

The child in the video also reacted due to its relationship with the specific music piece that was chosen by its mother. According to the report in the TV show, the child only reacts in that emotional way when the mom sings that specific chosen song. This choice was not a coincidence. The song the mom chose has characteristics that only exists in it since each song is unique. Each song will present tension areas, areas of relief, melodic contours, bigger or smaller levels of predictability, etc. The child’s musicality was able to recognize elements in that specific song that could not recognize in others even if coming from the mom’s repertoire, interpreted by the mom through the use of the same timbre. That’s why the mom chose that song and decided to film baby’s emotional experience that use to occur.

In other words, it is important to understand that yes, this child has made a significant interaction with its mother with the help of the song however, the child also makes a significant interaction with the song with the help of its mother. The song helping the baby and the mom’s rapport and mom helping the baby and the song’s rapport. So, we have the formation of triangle which involves the mother, the baby and the song. Music is not only positioned BETWEEN mom and baby but also WITH mom and baby, facilitating not only the contact and connection between this baby and its mother but also between this baby and the world.

MÃE, BEBÊ E MÚSICA 

resposta do  musicoterapeuta André Brandalise à matéria do programa Fantástico exibida no dia 03/11/2013

A tentativa do programa Fantástico do último domingo dia 03/11/2013 foi a de explicar um vídeo da internet que está muito popular, de um bebê que se emociona ao ouvir sua mãe cantar uma determinada canção. Foi uma pena pois o programa mais uma vez perdeu a oportunidade de enfocar o tema acerca da utilização da música de forma mais abrangente. A matéria é inexplicavelmente leiga em música. Foram entrevistados profissionais de áreas que não se dedicam necessariamente ao estudo da música. Logo, o que foi abordado, apesar de fazer sentido, diz respeito a somente um ângulo do fenômeno relacionado à aplicação da música na contribuição à saúde e ao desenvolvimento humano: a música somente utilizada como agente intermediário entre duas ou mais pessoas. Ao ver de um dos entrevistados, por exemplo, a criança somente reagiu e emocionou-se com a canção devido ao vínculo com sua mãe. Isto existe, é potente e é correto. Mas não foi somente isso o que ocorreu no vídeo estudado e não é somente isto o que pode ocorrer sempre que dois ou mais seres humanos envolvem-se com música.

CLICK HERE TO VIEW VIDEO

A criança também reagiu devido a seu vínculo com esta específica peça musical escolhida por sua mãe. Segundo a matéria, a criança somente emociona-se daquela maneira quando escuta a mãe cantando a canção de escolha. E esta escolha não foi uma coincidência. A canção que a mãe escolheu possui características que não seriam encontradas em outras peças musicais pois cada canção é única. Cada canção apresentará seus pontos de tensão, suas áreas de repouso, seus contornos melódicos, uma maior ou menor previsibilidade etc. Logo, a musicalidade da criança reconheceu elementos nesta específica música que não reconheceu em outras. Daí a razão da mãe ter feito sua escolha.

Portanto, é preciso que se entenda que sim, esta criança faz significativa interação com sua mãe via esta canção porém também faz significativa interação com esta canção via esta mãe. A canção auxilia o vínculo do bebê com a mãe e a mãe auxilia o vínculo do bebê com a canção. Forma-se então um triângulo que envolve mãe, bebê e canção. A música não está somente ENTRE  o bebê e sua mãe mas também está COM  o bebê e sua mãe auxiliando a abertura de poros de contato não somente entre esse bebê e sua mãe mas também entre esse bebê e o mundo.